sábado, 17 de março de 2012

Sucateamento de unidades da Ufba prejudica o ensino

Entre 2006 e 2011, com recursos do Programa de Apoio a Planos de Expansão e Reestruturação das Universidades Federais (Reuni), foram investidos R$ 208 milhões em obras de reestruturação de unidades de ensino e da estrutura dos campi da Universidade Federal da Bahia (Ufba). Apesar disso várias unidades apresentam deficiência de infraestrutura que vão desde goteiras a atraso de obras que prejudicam estudantes e docentes. Passados quase três anos do incêndio que consumiu o quinto pavimento do Instituto de Química (IQ), no Campus de Ondina, a vida de professores e estudantes ainda não retornou ao ritmo de antes. Segundo a estudante do 8º semestre de Química, Jaqueline Barbosa, 22 anos, todas as disciplinas de laboratório da graduação foram transferidas, neste semestre, para o Serviço Médico Universitário Rubens Brasil (Smurb), na Federação. O ritmo de obras, que também ocorrem no Instituto de Física (IF), ao lado, transtorna a rotina dos estudantes. Neste último, o espaço de encontro dos alunos é um pátio com poucas mesas e cadeiras. Um dos alunos de física assinalou que o local não era propício aos estudos. Leia mais em A Tarde.

0 comentários:

Postar um comentário